sexta-feira, 8 de setembro de 2006

estamos à do jorge branco

cantar pela noite fora com os amigos. juntam-se estranhos. ajudam ao cante. as vozes não secam. molham-se as gargantas. e a cantar afastam-se tristezas.

1 comentário:

pedrosez disse...

Este post é a perfeita definição da atmosfera desse local místico que nós bem conhecemos. Há-de pertencer à minha memória, ao meu presente e futuro.

Um abraço.

Pedro Sesinando