segunda-feira, 5 de maio de 2008

estado puro

dizias-me às vezes que não sabias amar. que amavas demais. que não amavas o suficiente. que tudo te parecia sempre insuficiente. quanto tempo nos podemos desencontrar mais nas ruas da cidade, que não seja sempre o tempo da certeza do reencontro. agora aqui. digo-te sem hesitações. não procures. não vale a pena. o amor não tem uma medida. existe, parece-me que existe. de uma forma simples e confusa. suave e arrebatadora. o amor é a vida sem limites. a vida em estado puro.

2 comentários:

asvezesanoite disse...

Gosto de ti! (sem parecer demasiado abichanado)

Mara disse...

Subscrevo-te, querido amigo!
Beijinhos grandes